publieditorial03A genética dos seus treinados em suas mãos

Quem trabalha com preparação física e prescrição de treinos físicos (os profissionais de Educação Física), depara-se constantemente com dúvidas que vão desde o nível de esforço a ser proposto aos atletas e treinados, o tipo de atividade física mais adequado a estes e até o fato de planejar os ciclos de treinos com volumes adequados e períodos de recuperação suficientes para evitar os transtornos da preparação física, como as lesões e o tão temido “overtraining“.

Todos os profissionais que trabalham com programas de condicionamento físico e com preparação física de atletas (profissionais de escolas, de clubes esportivos, academias, assessorias esportivas, grupos de corridas, personal trainers, entre outros) sonham em ter informações precisas que os façam acertar seus treinos, reduzindo assim as paradas e os afastamentos, devido às lesões, e maximizando os ganhos de seus treinados em um menor tempo possível. Para tanto, as rotinas de testes e exames laboratoriais são, hoje em dia, um fato presente nos programas de preparação física para os diversos segmentos, principalmente entre equipes profissionais. Porém tais procedimentos, além de muito dispendiosos, são por vezes invasivos, além de não trazerem uma máxima precisão de resultados por se tratarem na maioria dos casos de informações condicionais relacionadas ao atual momento do indivíduo, sendo variáveis à medida que o tempo passa, necessitando de repetição, controle e comparação dos resultados obtidos ao longo do tempo.

Se os treinadores, preparadores físicos e personal trainers pudessem ter em mãos as informações exatas de como funciona o organismo de cada indivíduo que treina, informações essas que trouxessem a certeza da adequação do trabalho físico, bem como o correto nivelamento das relações volume x intensidade dos treinos, poderíamos dizer que estaríamos no futuro da preparação física, onde não precisaríamos mais seguir as informações baseadas em estatísticas de grupos. Tais informações dão certo para a maioria das pessoas, porém para uma pequena parte desses indivíduos os resultados esperados não chegam porque estes estão fora das médias (são os desvios padrões).

Acontece que com a finalização dos estudos do Projeto Genoma Humano (HGP), no início do século XXI, o conhecimento de todo o genoma dos seres humanos e as funções específicas de cada um dos genes presentes em nossos cromossomos, isso já é possível. Os preparadores físicos, personal trainers e demais profissionais de Educação Física já podem ter em suas mãos informações genéticas de seus treinados que são fundamentais para uma correta e específica preparação física, ou seja, para uma programação de treinamentos físicos totalmente personalizada, onde o planejamento é feito com base no DNA do sujeito e a certeza dos resultados, se cumpridos os requisitos, torna-se máxima.

Já é possível fazer um mapeamento genético das principais características que se aplicam às atividades físicas, como a predisposição ao desenvolvimento das fibras musculares; o padrão da lipólise durante as atividades físicas; a capacidade antioxidante frente ao estresse oxidativo das atividades físicas e à resposta inflamatória dos músculos decorrente dos treinos. Essas funções orgânicas variam ente os indivíduos e são informações chave para um correto, eficiente e específico planejamento de treinos personalizados, onde dessa forma saberemos como o organismo dos sujeitos responderá da melhor forma aos treinos, pois teremos o conhecimento de sua genética, facilitando todo o trabalho dos preparadores físicos e personal trainers, trazendo assim, precisão nos resultados em um menor tempo.

A empresa DF Médica, pioneira mundial em exames de mapeamento genético para as atividades físicas, traz para você o FitSport 2.0, um exame não invasivo, fácil de ser realizado e com a precisão científica do método mais moderno de coleta, leitura e estudo do genoma de pessoas que querem resultados máximos com a precisão que somente seu DNA pode lhes dar.

Para que isso seja possível, o profissional deverá fazer um curso de capacitação específica oferecido pela empresa, com duração de dois dias. Ao final da capacitação, os profissionais de Educação Física estarão aptos a fazerem a coleta do material genético, o envio das amostras para o laboratório específico e a interpretação do resultado com seus laudos. Nesse momento, os profissionais capacitados estarão em um patamar acima dos demais, tendo suas atuações apoiadas por esta ação científica e futurista.

Os profissionais devidamente capacitados estarão automaticamente credenciados à empresa DF Médica e terão seus nomes e serviços divulgados no portal da empresa, podendo assim serem reconhecidos em âmbito nacional.

 

Professor Walter Cortez

(CREF5-0159) Coordenador nacional do FITSPORT

 

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Publieditorial

Além disso, verifique

O conselho regional de educação física da 5ª região (CREF5) é parceiro da AEAF-CE

Desde o dia 29 de junho de 2013, os profissionais de Educação Física que atuam em assessor…