2016 CHEGA REPLETO DE DESAFIOS, CORRIDAS E MUITAS HISTÓRIAS DE SUPERAÇÃO. CONFIRA COMO SUPERATLETAS SE PREPARAM PARA CORRIDAS DE LONGA DISTÂNCIA.

Hora de lançar os novos desafios para 2016. É o caso da enfermeira Jane Eyre Vieira, que aos 57 anos prepara-se para completar sua primeira meia maratona. Ela vai enfrentar seus primeiros 21km na prova que será realizada em maio de 2016 no Rio de Janeiro.

“A corrida de rua sempre me fascinou. Quando corri 5km me senti estimulada e desafiada para ampliar os horizontes e a quilometragem. Em agosto de 2014, iniciei em uma assessoria de corrida e em dezembro do mesmo ano corri os primeiros 10km. Foi uma grande vitória pessoal. Então pensei: meu sonho agora é uma meia! Nem acreditava que estava tão próximo! Hoje estou inscrita na Meia Maratona Rio 2016”, conta orgulhosa.

Assim como Jane Eyre, vários corredores traçam metas ousadas. Desde a começar a caminhar até a completar uma maratona, o importante é manter o foco. Ao longo de toda esta edição da Viva Corrida serão apresentadas dicas de preparação, como os testes e exercícios necessários e indicados para que você se torne um corredor mais rápido.

O principal ingrediente para melhorar o desempenho é a disciplina. Não faltar aos treinos é fundamental para melhorar o condicionamento físico e assim aumentar o desempenho nas provas. Mas antes de se arriscar em novos desafios, um check-up é fundamental. O fisioterapeuta Albino Luciano costuma brincar com seus pacientes de que é necessário fazer o “alinhamento e o balanceamento do atleta” antes de ir para as ruas treinar. Exames como a cinemetria (em que o atleta é filmado de vários ângulos para corrigir eventuais falhas posturais) ou a baropodometria (popularmente conhecido como teste da pisada) são necessários para corrigir a postura do atleta e prevenir lesões.

Outro ingrediente importante na preparação dos atletas que vão se lançar para novos desafios em 2016 é procurar modalidades que auxiliem na melhoria da capacidade. “Pilates, treinamento funcional e natação são três esportes bastante recomendados para quem pretende melhorar na corrida”, comenta o educador físico André Bellaguarda. Ele comenta que atividades físicas que desgastam o atleta não são recomendadas porque o corpo precisa de um descanso entre atividades intensas. O ideal é procurar atividades físicas que trabalhem bem a região do quadril e abdômen, pois são bastante utilizadas pelos corredores.

Uma alimentação balanceada também é fundamental para o sucesso das corridas

 

 

 

 

em 2016. A nutricionista Brunna Carvalho explica que “só o treino não adianta. É preciso cuidar também da alimentação”. Uma dieta mais rigorosa para uma meia maratona, por exemplo, começa cerca de três meses antes da prova. “A dieta equilibrada, com baixa ingestão de carboidratos, por exemplo, é importante porque ajuda o atleta a adquirir condicionamento físico muito mais rápido”, comenta. Para Brunna, se você está pensando em correr uma prova longa em 2016, não deve esperar a chegada do novo ano para começar a reeducação alimentar.

É o caso de Wendell Nobre, que correu uma meia maratona em 2015, e neste ano pretende, junto com um grupo de amigos, completar os 42km de uma maratona. “Além de já estar sendo acompanhado por uma nutricionista, venho aumentando gradualmente a minha carga de treinos até chegar à corrida, que será somente em maio”, declara Wendell. Ele e o grupo de amigos costumam literalmente entrar numa fria após os treinos longos, realizados geralmente aos sábados. Eles entram em um balde de água gelada sob a supervisão de um fisioterapeuta. É uma terapia bastante eficaz que vem se tornando uma verdadeira febre, devido a tantos benefícios que proporciona, como: prevenção de lesões, tem efeito analgésico, redução de inflamações, eliminação de toxinas e líquido acumulado.

Corpo em dia, mas é necessário também cuidar da mente. O psicólogo Ricardo Ângelo acredita que é necessário equilibrar os treinos com outras atividades que geram prazer nos atletas. “Se ao faltar um treino ou por alguma dor ou lesão o atleta começar a ter crises de ansiedade, perder o sono ou ficar agressivo facilmente, ele tem de olhar pra si, pois pode estar viciado em exercício”, comenta. Em reportagem na revista, é possível encontrar outros sintomas e como tratar desse vício que já acomete quase um terço dos corredores profissionais e amadores.

Ficar livre de problemas pessoais e de lesões musculares é o objetivo do triatleta João Martins. No Ironman Fortaleza 2015, ele conseguiu uma vaga para o mundial da modalidade, que é disputado em Kona, no Havai, Estados Unidos. Com treinos diários da modalidade do triathlon (natação, ciclismo e corrida), João tem de superar inúmeras dificuldades para conseguir chegar aonde chegou. “Já realizei o sonho da minha vida ao chegar a um mundial de Ironman”, comenta de forma humilde, já que mesmo com os resultados obtidos nos últimos anos (ele foi o campeão da sua categoria no Ironman Fortaleza 2014) o atleta ainda não conta com o apoio necessário para se profissionalizar no esporte. “No dia seguinte à competição eu tive de acordar cedo e ir trabalhar”, comenta.

Cada qual com seu desafio a ser superado. Uns tendo um passo a mais para superar, outros um passo mais rápido, uma caminhada mais longa, ou mesmo um desafio diferente. Como é o caso da Jane Eyre do início desta reportagem. “No momento estou contente com a realização da meia! Mas já senti uma inquietação para pedalar e nadar! Quem sabe?”.

 

EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES

Existem atividades físicas que, se realizadas concomitantemente, podem comprometer o desempenho e gerar fadiga excessiva do mesmo grupo muscular e consequentemente uma recuperação inadequada. Isso acontece porque esses treinamentos demandam o mesmo tipo de ação metabólica do organismo, inclusive para fins de reparação muscular.

Dependendo do nível de estímulo (fraco, moderado ou forte), um músculo necessita de 48 a 72 horas para recompor as fibras rompidas durante um treino específico. Logo, submetê-lo a um estímulo similar não traz ganhos e, muitas vezes, pode causar até a perda de massa magra (catabolismo).

O profissional de Educação Física, André Bellaguarda, explica que hoje todos os centros de treinamento internacional indicam para melhora de performance o trabalho do CORE (região do tronco e quadril) que tem a principal função de estabilizar e otimizar a potência dos membros superiores e inferiores. O Pilates e o treinamento funcional têm por sua essência o trabalho do CORE em conjunto com o fortalecimento global de membros inferiores e superiores. Sendo os exercícios mais recomendados paraquem está pensando em melhorar o desempenho nas corridas.

img-destaque02-942x221

Bellaguarda explica que o treinamento funcional é um método de treinamento com periodização e organização voltado para aumento de performance, seja ela esportiva ou somente para atividades do dia a dia. O treinamento melhora a qualidade de movimento como também aumento de força com menos risco de lesão. Este método vem sendo utilizado no mundo inteiro por atletas de diversas modalidades.

“Os centros de treinamento internacionais indicam para melhora de performance o trabalho do CORE (região do tronco e quadril) que tem a principal função de estabilizar e otimizar a potência dos membros superiores e inferiores.”

Mas o profissional faz um alerta, “ainda se confunde muito o treinamento funcional com circuitos de agilidade e força feitos em praças e praias”. “O treinamento funcional realizado em formato de circuito normalmente visto em áreas livres como parques, praias e praças é uma aula em grupo e tem como objetivo a perda de peso e o condicionamento físico geral, mas, em contrapartida, não trabalha a individualidade e os desequilíbrios musculares de cada aluno”, completa. “Indico que os alunos procurem um centro especializado onde possam ter um treino customizado e alinhado com suas necessidades”, sugere Bellaguarda.

img-destaque03-942x221“Há cinco meses comecei um treinamento funcional mais específico para a corrida com o tempo de 48 minutos, em 10km, e hoje consigo completar a distância em 38 minutos”, comenta o corredor Ramon Borges, que resolveu apostar em outra modalidade a fim de melhorar seu desempenho na corrida. Sobre o pilates, trata-se de uma atividade principalmente de fortalecimento do CORE e alinhamento corporal e alongamento dinâmico, o que faz parte de uma receita de sucesso para todos aqueles atletas que desejam ficar longe de lesões.

“O Pilates e o treinamento funcional têm por sua essência o trabalho do CORE em conjunto com o fortalecimento global de membros inferiores e superiores.”

A Musculação também é indicada para corredores, principalmente para aqueles que pretendem alcançar maiores distâncias. Outra modalidade bastante sugerida é a natação. Por ser uma atividade de baixo impacto e que trabalha também o sistema cardiovascular, a modalidade é uma excelente opção para corredores que desejam melhorar seu condicionamento sem precisar se sobrecarregar nos volumes de corrida.

  • raio-x-800x723

    Baropodometria e cinemetria

    Conheça dois exames simples que ajudam a escolher o tipo de calçado ideal e a minimizar ri…
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Destaque

Além disso, verifique

Baropodometria e cinemetria

Conheça dois exames simples que ajudam a escolher o tipo de calçado ideal e a minimizar ri…