Fábio Vasconcelos deixou o lençol de lado e encarou o tênis que o desafiava todas as manhãs.

Todos os dias Fábio Vasconcelos observava a esposa acordar antes do sol surgir no horizonte, pôr o tênis, a roupa do treino e sair de mansinho para não acordá- lo. Enquanto isso, ele virava para o lado e seguia dormindo. Mas os quilos a mais foram se acumulando e ele resolveu acompanhá-la um dia. “No início, foi bem difícil, a questão de levantar da cama às 5h da manhã, comer alguma coisae pegar o carro para ir até o local de encontro da assessoria esportiva era algo muito desafiador para mim”, disse Fábio. Mas logo, ele percebeu que o sacrifício estava valendo muito a pena. “Fui gostando e curtindo os desafios além de perceber algumas mudanças que estavam acontecendo no meu corpo, na minha confiança e autoestima”, comentou o já disposto atleta.

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

“No mundo atual, conciliar a vida de pai de família e marido com trabalho, lazer e atividade física é um grande desafio, posso afirmar que é muito mais difícil do que correr uma maratona”

Atualmente, Fábio deixou de lado a preguiça matinal e enfrenta uma rotina pesada de treinos entre a corrida (percorre em média 45km por semana), aulas de musculação duas a três vezes semanais e ciclismos, este “as vezes no final de semana”. Além da difícil rotina de treinos, Fábio teve de conciliar seu tempo também com outra maratona: a da vida pessoal. Ele é gestor financeiro, casado e pai de dois filhos, com quem tem que dividir tempo e atenção. “No mundo atual, conciliar a vida de pai de família e marido com trabalho, lazer e atividade física é um grande desafio, posso afirmar que é muito mais difícil do que correr uma maratona”, afirmou.

“Logo em seguida fui participando de provas curtas. Os desafios foram surgindo naturalmente, até que um dia o pessoal da assessoria esportiva falou sobre uma viagem para correr a meia maratona internacional do Rio de Janeiro. Cansei só de pensar.”

Mas ele não desistiu. Seu primeiro desafio deve ter sido o maior de todos para uma pessoa que era totalmente sedentária: correr 5km. Fábio completou e, desde então, nunca mais parou. “Logo em seguida fui participando de provas curtas. Os desafios foram surgindo naturalmente, até que um dia o pessoal da assessoria esportiva falou sobre uma viagem para correr a meia maratona internacional do Rio de Janeiro. Cansei só de pensar”, conta. Mas a determinação foi maior que o cansativo pensamento.

“Para falar a verdade finalizei a prova do Ironman deuma maneira que nem eu acreditava que seria possível. Cheguei inteiraço, brincando e comemorando com meus amigos.”

Hoje Fábio já diz ter percorrido várias maratonas e meias maratonas e como se não bastasse, resolveu entrar no triathlon. Nessa modalidade, ele completou uma prova de Ironman, que é uma das provas mais difíceis para quem pensa em um dia fazer triathlon. São simplesmente 3.800m de natação, 180km de ciclismo e, como se não bastasse tudo isso, os atletas ainda enfrentam 42km de corrida. Fábio enfrentou o desafio em 12horas e 29 minutos. “Para falar a verdade finalizei a prova do Ironman deuma maneira que nem eu acreditava que seria possível. Cheguei inteiraço, brincando e comemorando com meus amigos”, fala o orgulhoso homem de ferro.

De observador da mulher atleta a um Ironman, a trajetória de Fábio Vasconcelos já contabiliza vários quilômetros rodados. “Nessa jornada que envolve disciplina, paciência, superação, mente aberta e muita vontade de vencer, o aprendizado é impagável”, aconselha o atleta.

“Quando conheço alguém que não pratica exercício eu fico imaginando como essa pessoa consegue desenvolver ideias ou enfrentar grandes desafios. Meus melhores momentos que desenvolvo no âmbito profissional e pessoal foram agregados com a dedicação nos treinos. Eu consigo organizar ideias, melhoro meu desempenho de compreender problemas e fortaleço mais ainda minha fé. Além disso tudo, você consegue fazer amizades incríveis abrindo novos horizontes”, enfatiza Fábio. “Um dos maiores desafios da vida é encontrar a maturidade suficiente para investir na saúde de forma séria e objetiva sem perder a leveza da vida”, completa o orgulhoso e agora atleta.

  • superacao01-800x723-copiar

    PERIGO: Quando o atleta nega sua lesão desportiva.

    Caros leitores, abordaremos um tema inerente a prática de corrida de rua. Lesões desportiv…
  • minha-vida-corrida

    A corrida como um resgate de vida

    Conheça a história da professora Flávia Saraiva, que trocou um Transtorno de Compulsão Ali…
Carregar mais artigos relacionados
  • minha-vida-corrida

    A corrida como um resgate de vida

    Conheça a história da professora Flávia Saraiva, que trocou um Transtorno de Compulsão Ali…
Carregar mais em Minha Vida Corrida

Além disso, verifique

PERIGO: Quando o atleta nega sua lesão desportiva.

Caros leitores, abordaremos um tema inerente a prática de corrida de rua. Lesões desportiv…